Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, o Pai da Psicologia Moderna não foi Freud, mas sim Wundt.

Wilhelm Wundt nasceu em Neckarau, a 16 de Agosto de 1832 e morreu em Großbothen, a 31 de Agosto de 1920, com 88 anos, e foi um psicólogo Alemão.

Wundt determinou os objectivos e objecto de estudo da Psicologia,métodos de análise e tópicos pertinentes. Criou o Primeiro Laboratório de Psicologia Experimental, com o intuito de contribuír para a autonomização e independência da Psicologia como Ciência.

Formado em medicina, Wundt influenciou-se nas descobertas da química, segundo as quais todas as substâncias químicas são compostas por átomos, tentando então “decompor” a mente. Chegou ao elemento mais básico, as sensações.

Segundo Wundt, as operações mentais resultam da organização de sensações elementares que se relacionam com a estrutura do sistema nervoso. O objecto de estudo da Psicologia seria então o estudo da mente, a consciência –  e no seu laboratório, em Leipzig, Wundt tenta conhecer os elementos constituintes da consciência e a forma como se associam –Associacionismo.

Assim, Wundt utiliza como método de estudo a introspecção controlada: em laboratório, observadores treinados descrevem as suas experiências resultantes de uma situação experimental. Através da introspecção, os sujeitos descreviam as suas percepções resultantes de estímulos visuais, auditivos e tácteis. Este método permitiria, segundo Wundt, o acesso à experiência consciente do indivíduo.

A introspecção praticada no laboratório de Wundt  obedecia a regras rígidas. Wundt tratava, principalmente, julgamentos conscientes acerca do tamanhointensidade e duração de vários estímulos. Raramente os estudos envolviam um relato de natureza subjectiva, como o carácter agradável ou desagradável dos estímulos ou a qualidade de determinadas sensações.

As áreas investigadas por Wundt abrangeram os domínios da sensação, percepção, atenção, sentimentos, reacção e associação. Assim, Wundt passou a ser considerado o pai da psicologia.