Sigismund Schlomo Freud (Příbor, 6 de Maio de 1856 — Londres, 23 de Setembro de 1939), mais conhecido como Sigmund Freud, foi um médico neurologista judeu-austríaco, fundador da psicanálise Freud nasceu em Freiberg, na época pertencente ao Império Austríaco; atualmente a localidade é denominada Příbor, na República Checa.

Freud iniciou seus estudos pela utilização da hipnose como método de tratamento para pacientes com histeria. Ao observar a melhoria de pacientes de Charcot, elaborou a hipótese de que a causa da doença era psicológica, não orgânica. Essa hipótese serviu de base para seus outros conceitos, como o do inconsciente Freud também é conhecido por suas teorias dos mecanismos de defesa, repressão psicológica e por criar a utilização clínica da psicanálise como tratamento da psicopatologia, através do diálogo entre o paciente e o psicanalista. Freud acreditava que o desejo sexual era a energia motivacional primária da vida humana, assim como suas técnicas terapêuticas. Ele abandonou o uso de hipnose em pacientes com histeria, em favor da interpretação de sonhos e da livre associação, como fontes dos desejos do inconsciente.

Suas teorias e seu tratamento com seus pacientes foram controversos na Viena do século XIX, e continuam a ser muito debatidos hoje. Suas ideias são frequentemente discutidas e analisadas como obras de literatura e cultura geral em adição ao contínuo debate ao redor delas no uso como tratamento científico e médico.

Freud foi procurar o significado mais profundo das perturbações psicológicas. Antes só se conhecia o consciente, constituído pelas representações presentes na nossa consciência e conhecido pela introspecção, constituía o essencial da vida mental do ser humano. O inconsciente é a grande revolução de Freud. Constitui a zona presente por pulsões, tendências, desejos de carácter afectivo-sexual, á qual não é possível um conhecimento directo. Freud compara o psiquismo humano a um iceberg (imagem apresentada mais a baixo). Parte visível, pequeno como o consciente (imagens, lembranças, ideias que se podem evocar ou conhecer). Parte submersa, é a parte maior como o inconsciente. O pré-consciente ou subconsciente faz ligação entre o consciente e o inconsciente. O material tende a tornar-se consciente. Contudo á um conjunto de forças que se opõem a esta passagem. Existe uma censura que bloqueia a tomada de consciência do material inconsciente.