Definido o objecto, vamos analisar métodos e técnicas de investigação utilizadas pela ciência.

Métodos:

 

  • Introspecção: (Wundt) observação do interior feita pelo próprio sujeito. Primeiro método utilizado na psicologia. Quanto ao rigor podemos afirmar, não havia um controlo externo, havia dificuldade em verbalizar as emoções, racionalização das emoções, …. Quanto à aplicação, não se aplica ao comportamento patológico, infantil ou animal; não estuda o inconsciente e não explica respostas fisiológicas.

 

  • Experimental: corresponde a uma necessidade de assegurar o carácter de ciência objectiva e rigorosa á psicologia seguindo um modelo das ciências da natureza. 1º Formulação de hipóteses, 2º Experimentação (manipulação e controlo das variáveis, registo das observações), 3º Generalização dos resultados. Contudo, neste método era difícil, controlar as variáveis, por motivos éticos não se pode testar uma hipótese se esta causar danos físicos ou psicológicos, não se consideravam dados qualitativos, preferiam-se os quantitativos. A complexidade do comportamento humano dificulta o isolamento das variáveis independentes.

 

  • Observação: pode ser encardo como método, um instrumento ou uma etapa de outros métodos. O objecto da observação é o comportamento de um sujeito ou de um grupo. Observação ocasional, dia-a-dia; observação sistemática, tende realizar tarefas semelhantes á do experimentador, formulação de hipóteses, controlo de variáveis, generalização dos resultados, dentro da observação sistemática, temos a observação laboratorial e a observação naturalista. Nestas duas, o observador não intervém. Observação laboratorial é utilizada pelos investigadores quando necessitam de controlar alguns factores que influenciam o comportamento que está a ser estudado. O ambiente e a situação são determinados investigador para melhor controlar as variáveis intervenientes. Os investigadores podem utilizar instrumentos como, câmaras de vídeo, grelhas de observação, para que haja maior nível de sensibilidade e rigor. Observação naturalista, consiste na observação e descrição dos sujeitos no seu ambiente natural. O registo destas observações pode tomar várias formas como, anotações escritas, fotografias, registos áudio e vídeo.

 

  • Clínico: (Piaget) Caracteriza-se por abranger um conjunto de metodologias e técnicas diversificadas, privilegiadamente de índole qualitativa, que pretendem estudar em profundidade um indivíduo, um assunto ou um problema. O método clínico visa a compreensão global do sujeito tendo em conta a sua personalidade como um todo. Ao aplicar o método clínico, o psicólogo, alem de adaptar determinadas atitudes, pode recorrer a determinadas técnicas: anamnese, entrevista, observação e testes.

 

Anamnses: é um conjunto de informações significativas passadas e presentes relativas a uma pessoa, rememorização autobiográfica.

 

Entrevista: é um momento importante do exame psicológico. Para além do que é dito, interessa ao psicólogo observar as atitudes, os comportamentos verbais e não verbais da pessoa. A entrevista serve como meio de diagnóstico e psicoterapia.

Observação: consiste numa observação directa dos comportamentos e atitudes do sujeito com o objectivo de o compreender e aos seus problemas.

Testes: são sobretudo os testes, principalmente os testes projectivos que melhor respondem às necessidades do psicólogo clínico. Neste tipo de testes o sujeito projecta, nas situações em que é colocado, características da sua personalidade.

 

  • Psicanalítico: hipnose, associações livres, interpretações de sonhos, analise de transferência inerente á relação psicanalista/paciente, analise dos actos falhados. Hipnose: método terapêutico limitado; nem todas as pessoas eram susceptíveis de ser hipnotizadas; os resultados não eram duráveis, porque as resistências pessoais eram evitados não analisados, o doente não tinha um papel activo no processo de cura. Associações livres: o paciente deveria dizer o que lhe vinha á mente ou expressar os afectos e as emoções sentidas. Objectivo seria recordar/reviver os acontecimentos traumáticos recalcados, interpreta-los e compreendê-los, de forma a dar ao ego (força do consciente) a possibilidade de um controlo sobre as pulsões. Interpretação de sonhos: para Freud é o melhor meio de atingir o inconsciente do paciente. O conteúdo manifesto consiste na descrição que o paciente faz do que sonhou. O conteúdo do sonho é apenas a fachada por isso requer uma interpretação. Análise de actos falhados: resultam de interferência de intenções diferentes que entram em conflito. Esquecimento das chaves, troca de palavras durante a expressão oral, …. Processo de transferência: o paciente transmite e o psicanalista analisa. O paciente transmite e o paciente. O paciente transfere tudo o que recalcou na infância, medos, ciúmes, invejas, ódios, ao psicanalista e este por transferência analisa.

 

  • Entrevistas: tem como objectivo confirmar, ou não, hipóteses explicativas formuladas pelo investigador. Inquérito por questionário permite obter de uma forma rápida, informações sobre opiniões, atitudes, valores, ou aspecto do comportamento das pessoas. A entrevista é também uma técnica de investigação e ode ser não directiva, semidirecitva e directiva. Não directiva, na conversa entre interloctores a palavra circula livremente. Semi directiva, o entrevistador orienta-se por um guião com algumas questões numa ordem que pode mudar. Directiva, as questões são idênticas e ordenadas e colocadas às pessoas

 

Advertisements