Freud acreditava que a personalidade é moldada pelas primeiras experiências, quando as crianças passam por um conjunto sequencial de fases psicossexuais. O termo psicossexual deriva da ideia de que a libido, que é claramente uma energia sexual, é localizada em regiões corporais diferentes, conforme o desenvolvimento psicológico progride.

Segundo este autor, a sexualidade cria vínculos, mas não está só relacionada com o acto sexual, mas sim com tudo o que cause prazer (como comer quando se tem fome; beber quando se tem sede, etc.).

Três áreas corporais, que Freud chamou de zonas erógenas – boca, ânus e genitais -, respondem intensamente à estimulação de prazer. Em cada fase de desenvolvimento, uma zona é especificamente influente. As pessoas derivam o prazer predominantemente daquela zona e buscam objectos ou actividades correspondentes. Ao mesmo tempo, surgem conflitos. Se as crianças são mimadas ou carentes e frustradas indevidamente em qualquer estádio, então podem resolver conflitos. Consequentemente, o seu desenvolvimento é detido e a libido é fixada naquele estádio.

A fixação refere-se a deixar parte da libido permanentemente investida num nível de desenvolvimento específico. Quando a fixação ocorre, o comportamento posterior é caracterizado por modos de obter satisfação ou reduzir a tensão, ou por outros traços ou atitudes típicos do estádio em que a fixação ocorreu. Freud acreditava que alguma libido fosse fixada inevitavelmente em cada fase. Com as pequenas fixações usuais, as migrações para comportamentos posteriores são menores. Com o excesso de frustração ou indulgência, fixações bastante substanciais podem ocorrer e a personalidade pode ser dominada por padrões das primeiras fases.

De acordo com Freud, as crianças passam por quatro fases psicossexuais – oral, anal, fálica e genital – além de um período de latência. Estas encontram-se explicadas no quadro que se segue

  1. Estádio anal: Este estádio inicia-se desde o nascimento até aos 12/18 meses de idade. Neste altura a zona erógena, nos primeiros meses é constituída pelos lábios e cavidade bocal. A alimentação éuma grande fonte de prazer.
  2. Estádio anal: Inicia-se dos 12/18 meses ate aos 2/3 anos. O desenvolvimento psicomotor vai permitir a criança reter ou expulsar as fezes e a urina. A estimulação da região anal e da mucosa intestinal da prazer á criança.
  3. Estádio fálico: Inicia-se dos 3 anos ate aos 5/6 anos. A zona erógena é o orgao sexual. É o orgao sexual a fonte de prazer sendo comum a sua manipulação.
  4. Estádio de latência: Inicia-se dos 5/6 anos até à puberdade. Caracteriza-se por uma diminuição da actividade sexual, que pode ser total ou parcial. Desenvolve competências e aprendizagens diversas, tanto a nível escolar como, social, cultural, …
  5. Estadio genital: Depois da puberdade. Reactiva a sexualidade que esteve adormecida no período de latência.

Para o autor, a grande diferença entre a sexualidade infantil e a adulta é a intencionalidade.