O Manifesto Behaviorista foi lançado por John Watson (1878-1958). Imprimindo um novo rumo à história da Psicologia, o Behaviorismo foi um movimento de grande impacto no campo da Psicologia moderna, influenciando os sectores do estudo do comportamento humano, nas teorias da aprendizagem e personalidade até às formas de psicoterapias. O clima intelectual onde se tornou possível o aparecimento do Behaviorismo apresenta três aspectos relevantes: o objectivismo; o desenvolvimento da psicologia animal e o Funcionalismo. Por influência do Positivismo, o Estruturalismo foi abandonado pelo Behaviorismo e sua opção foi pela Psicologia sem alma. A psicologia com o trabalho de Edward Thorndike que resultou uma teoria mercante da aprendizagem, baseada no comportamento objectivo e sem referência dos elementos da experiência consciente. Watson procurou estudar aspectos do comportamento à luz das suas formulações teóricas e depois de definir o Behaviorismo como a nova Psicologia, dedicou-se ao problema da existência, ou não, de instintos nos seres humanos que nada mais são do que respostas socialmente condicionadas, pois segundo ele, todo o comportamento é aprendido. O Behaviorismo também estuda o problema do talento, tendência e traços mentais hereditários considerados como comportamento não aprendidos ou instintivos, defendendo a tese de que tais comportamentos são aprendidos. Watson estuda também as emoções de uma forma radical, para ele as emoções são apenas respostas corporais a determinados estímulos. O Behaviorismo exerceu influência em vários sectores da Psicologia moderna principalmente no campo das teorias da aprendizagem. Dois dos mais importantes teóricos da aprendizagem, Tolman e Hull acreditavam que o comportamento é sempre orientado para alcançar determinado fim, dando maior ênfase ao comportamento molar sem ignorar as variáveis intervenientes do comportamento. Skiner foi um dos mais famosos nomes da Psicologia contemporânea, nele encontramos o ponto culminante do Behaviorismo. Ele aponta a necessidade da criação de um modelo próprio para uma ciência do comportamento, livre da dependência de outros modelos, somente com o comportamento observável. O Behaviorismo de Skinner é chamado de “abordagem do organismo vazio” pois interessava-se pela relação funcional entre o estímulo e a resposta. No mundo contemporâneo, o Behaviorismo marcou época e deu um novo rumo ao estudo da Psicologia.